Profissões Criativas 2 cidades@bemparana.com.br Curitiba, quarta-feira, 10 de julho de 2019 Em ascensão no mercado nacional e in- ternacional, o profissional de Jogos Digi- tais tem um leque de opções de atuação. A profissão se divide em até dezenas de fun- ções. Pode atuar com desenvolvendo de programas, com a parte artística ou ainda explorar a comunicação da área, com pro- duçãode vídeos,peças publicitárias,stree- mings, entre outras. Os jogos em si podem ser educativos, de aventura, ação, simula- ção 2D e 3D, entre outros diversos gêne- ros.Acriação de jogos digitais é apenas um dos segmentos, sendo que há etapas com- plexas nodesenvolvimento,gestãodepro- jetos de sistemas, análise de mercado no mundo digital interativo, em rede ou iso- ladamente. Há dentro de uma plataforma a função exercida por desenvolvedores e outras essencialmente artísticas. Dono da Animvs, empresa desenvolve- dora de jogos em Curitiba, o programa- dor Andrei Daldegan aponta que o segre- do está no desejo por atualização. “Antes de mais nada a pessoa tem que estar dis- posta a estar atualizada. A tecnologia mu- da muito rápido. A tecnologia que a gen- te usava há três anos já mudou completa- mente; é um esforço contínuo manter-se atualizado com a tecnologia de high-end (de ponta). Tem que ter um espírito de aprendizado contínuo. E é essencialmen- te criativo. É importante ter uma mensa- gempara passar”, resume.AAnimvs acaba de lançar o jogo Dungeon Crowley e traba- lha na obra-prima da empresa, o IX - The pilgrim’s Path.  Recentemente Daldegan apresentou seu trabalho aos alunos da Game Escola, que ensina programação e criação de jogos. O programador aponta que o primeiro pas- so para os aspirantes é montar um portfó- lio. “Os profissionais tem que se qualificar bem tecnicamente.Omercado não absorve muito os profissionais. Temos muita gen- te se graduando. A primeira opção é criar o próprio jogo, em vez de ser aproveitado pelo mercado. Tem público para tudo, mas muita gente não está preocupado com jo- go ‘AAA (Triple A). A entrada do mercado se inicia na confecção do seu próprio por- tfólio. Essa é uma área não regulamentada e não precisa ter um diploma necessaria- mente. É necessário criar pequenos protó- tipos no decorrer de seu aprendizado,isso é o primeiro passo. Se o cara é artista ele vai ter uma ‘ArtStation’. Se o cara é programa- dor ele vai ter código no ‘GitHub’. Eu rece- bo currículos aqui e a minha preocupação nãoé agraduação,e simoportfólioque vale mais que qualquer coisa na minha opinião. É uma área bemprática. Isso que as empre- sas procuram”, orienta. Nesse ramo é pos- sível diversificar. “Essa área é a de desen- volvimentode software.Existempormeno- res nos jogos que tornam ele peculiar, um pouco mais complexo, mas essencialmen- te é um software. Uma das coisas que tem acontecido no mercado de games brasilei- ros é a atuação em em diversas áreas por parte do profissional. Tem que ser bom em solução de problemas, gestão de projetos, é completamente o que a gente vê em enge- nharia de software. Um profissional de de- senviolamento de jogos consegue atuar em outras áreas, como desenvolvimento de si- tes, aplicativos. Os artistas conseguem tra- balhar na produção de propaganda,marke- ting geral e identidade visual.”, diz. Daldegan confirma que a demanda por profissionais dos jogos digitais está em ascensão no Brasil. “Existe uma demanda, mas para isso ainda precisa que as empre- sas se estabeleçam e no geral nos últimos quatro anos aumentou em300%o número de empresas de jogos no Brasil. O gargalo de contratação da área é a situação do País (por causa da crise econômica).Todomun- do se organizando ainda”, pondera. Embora muitas das profissões que en- volvam o desenvolvimento de jogos não seja regulamentada, já há em Curitiba um curso de graduação em jogos digitais. “O mercado de jogos é muito maior do que a gente imagina. Existe desde o espaço dos jogadores, existe todo ummercado envol- vido em práticas de gamers, seja em re- lação à produção audiovisual, atrelada ou mesmo à concepção de jogos em diferen- tes modalidades”, explica a coordenadora do curso de graduação em Jogos Digitais daUniCuritiba,Luciana ReitenbachViana. O professor Bruno Mendonça, da disci- plina de Projetos, afirma que o curso de graduação na área organiza cada segmen- to e prepara para ummercadoprofissional. “Isso para todas as plataformas, para con- sole, aplicativo, tanto para aplicação na web. Existem hoje grandes campeonatos de jogos que envolvem desde o dinheiro da premiação, até a cobertura jornalística, cobertura com licenciamento de TV para transmitir tudo isso.Entãoa gentepercebe expansão bem grande desse mercado. Is- so torna interessante a gente formar pro- fissionais que tenham essa visão”, afirma. Em outra ponta da formação de profis- sionais dos games em Curitiba está a es- cola Octopus, que também conta comuma unidade em São José dos Pinhais. Como uma introdução que antecede o curso aca- dêmico, a escola técnica em atividade há oito anos tenta colocar os alunos em prá- tica comfocono segmento artístico dos jo- gos digitais e dá ao estudante oportunida- de de criar seu portfólio. “Dentrodesse segmento (jogos) éaparte artística (a especialidade da escola). Temo cara da programação, que é mais matemá- tica, algoritmo, etc. E nós aqui oferecemos para o ‘cara da cor, do cenário, da história’. Aquele que olha para um jogo e pensa no melhor personagem. Isso aqui é uma esco- la artística. Trabalhamos com jovens que são aproveitados pelo mercado. Eles che- gam aqui commil ideias e organizam aqui. Afaculdade oferece oprocesso teórico,nós oferecemos a prática”,explica o diretor co- mercial da Octopus, Nilo Fernandes.AOc- topus aceita alunos até com 6 anos de ida- de. “Em games até de 12 anos em diante. Desenho tem até com 6 anos.Mas no geral Games o mínimo é que seja 14 anos. Ten- tamos direcionar de acordo com o perfil. Tem meninos que estão na idade de olhar o computador como diversão e tem quem já entenda de outra forma. O curso de Ani- mação 3D, que é o de Games, todos os cur- so, têm começo, meio e fim”, pontua. #Jogos digitais GUIA Onde: UniCuritiba Inscrições: vestibular agendado Duração: 2,5 anos Quanto: Mensalidade de R$ 1.040,00 Onde: Octopus Inscrições: matriculas abertas o ano todo Duração: dois anos Quanto: 25 vezes de R$ 490,00. Há modali- dades diferentes, que partem de R$ 260,00 mensais Mundo dos jogos digitais é segmentado e possui leque de profissões Curso de criação de jogos digitais exige atualização constante Especial A série Profissões Criativas tem o objetivo de mostrar ao leitor uma nova visão e oportunidades no mercado de trabalho. Textos: Narley Resende Edição: Lycio Vellozo

RkJQdWJsaXNoZXIy NDU2OA==